> Artigos > Fim dos aplicativos?

Fim dos aplicativos?

Fim dos aplicativos

Hoje em dia é possível encontrarmos uma demanda alta de aplicativos de smartphones para as mais variadas funções, desde ferramentas de análises complexas que podem estar integrados aos sistemas empresariais até simples ferramentas que avisam a hora de beber água. Com todo esse universo de aplicativos disponíveis, precisamos cada vez mais de smartphones com recursos capazes de executá-los, uma vez que estamos cada vez mais dependentes deles em nosso dia a dia, tanto para os assuntos pessoais quanto profissionais.

Mas tudo isso tem uma tendência natural de acabar através da Inteligência Artificial!

Quando falamos em Inteligência Artificial, podemos imaginar sua aplicabilidade em diversos setores ou ramos de atividade, porém ainda é necessário um certo esforço para realizar o treinamento das máquinas. Mesmo após implementado com os devidos treinamentos realizados, ainda não é possível garantir que 100% da demanda será atendida pela Inteligência Artificial, seja através do atendimento aos clientes por um chat (chatbot) ou em análises complexa com Big Data, por exemplo. Importante ressaltar que quando menciono Inteligência Artificial, faço de uma mais generalizada, uma vez que utilizar termos mais específicos como Deep Learning, Machine Learning, Computação Cognitiva pode dificultar a compreensão do tema abordado, o que não é o objetivo.

A evolução deste modelo cultural contará apenas com assistentes que poderão estar intrínsecos nos sistemas operacionais, como a Siri do IOs ou o Google Assistente do Android ou através de um aplicativo complexo e genérico, mas que serão extremamente poderosos em suas integrações através de suas APIs (Application Programming Interface). Algumas empresas já estão disponibilizando aplicativos com Inteligência Artificial, o que sem dúvida agrega valor ao produto, mas o conceito de aplicativos especialistas e independentes continuam.

Em um futuro breve, não precisaremos mais de um aplicativo específicos para acompanhar o status de seus projetos, outro para conversar com amigos e familiares e mais um para acompanhar seus clientes e suas vendas. Através de perguntas de qualquer tema ou assunto realizadas diretamente ao assistente, pesquisas complexas poderão ser feitas e os resultados apresentados na tela de seu smartphone, uma vez que suas integrações serão maduras suficientes para agrupar informações de diversas fontes de dados ao mesmo tempo, sendo provenientes de sua empresa, de pesquisas vindas do Google, do clima de alguma região especifica e de voos de uma companhia aérea, por exemplo.

Claro que para esta realidade ser possível, é necessário amadurecermos tanto nossa forma de pensar, como processos e sistemas, uma vez que as mudanças culturais serão cada vez mais constantes, não nos permitindo permanecer muito tempo em zonas de conforto pois chegará um tempo em que será possível, através do assistente, realizar a compra de uma passagem aérea, com seu check-in devidamente realizado, um quarto de hotel reservado com o melhor custo benefício possível, garantindo que em sua mala terão apenas as roupas e acessórios necessários para sua estadia, uma vez que apresentará sugestões de quais roupas deverá levar baseada em estatísticas e previsão do tempo da região de destino, também irá garantir que seu transporte de traslado estará disponível assim que desembarcar, pronto para levá-lo a seu destino através da melhor rota possível, desviando de trânsitos ou possíveis bloqueios (como é feito hoje pelo Waze, porém ainda de forma independente), garantindo que você chegue em seu compromisso tranquilamente, pois caso ocorra algum atraso, as demais pessoas envolvidas serão notificadas com antecedência e suas agendas reorganizadas, causando o menor impacto possível, pois imprevistos acontecem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *